BLOG | CERRADO

Colheita de soja: como reduzir as perdas no processo?

A forma como cada atividade agrícola é desempenhada afeta diretamente no rendimento final da lavoura. Por isso, administrar as perdas na colheita de soja é uma forma eficiente de identificar os gargalos no processo e também de corrigi-los, gerando uma maior rentabilidade. E como reduzir as perdas na colheita de soja?

 

O processo de colheita é um momento crítico na atividade agrícola. Afinal, além de colher com qualidade para atingir o máximo rendimento da lavoura, o produtor rural também precisa se atentar às perdas que acontecem nesse processo, tomando o máximo cuidado para reduzi-las.

 

A eficiência dos negócios rurais e seu crescimento estão condicionados a capacidade produtiva da lavoura. Igualmente, o controle de perdas na colheita de soja, assim como nas demais culturas, é parte importante do processo de aumentar a capacidade produtiva.

 

Mas quais são as causas das perdas na colheita de soja? É preciso ter em mente que as perdas no campo acontecem naturalmente e muitas vezes ocorrem antes mesmo do início da colheita. No entanto, esse processo deve ser monitorado de perto pelo produtor rural.

 

As perdas na colheita de soja podem estar relacionadas à ocorrência de patógenos, falta de manutenção ou regulagem das máquinas agrícolas, clima adverso e muitos outros. Por isso, o primeiro passo para ações mais efetivas é identificar em que parte do processo essas perdas ocorrem e quais são seus motivos.

 

No texto a seguir, você confere mais sobre o controle de perdas na colheita de soja, com destaque para como identificar e mensurar essas perdas, quais os fatores ocasionam perdas na colheita de soja e o que fazer para reduzi-las. Descubra abaixo!

 

Quais tipos de perdas ocorrem na colheita de soja?

 

O olhar atento do produtor rural deve estar presente em todo o processo. Isso inclui desde o momento do planejamento e preparação para o plantio, até o controle de estoque e qualidade do produto agrícola. Considerando todas as etapas, as eventuais perdas que acontecem na colheita de soja podem ser classificadas como:

  • Pré-colheita

As perdas que antecedem à introdução da colheitadeira ou outro tipo de máquina agrícola no processo de colheita são classificadas como perdas pré-colheita. Podem ser ocasionadas por fatores climáticos, patógenos e vagens que passam muito do ponto de maturação.

 

Todos esses fatores levam a perda da qualidade dos grãos e em alguns casos levam à queda do grão antes mesmo do início da colheita de soja.

  • Plataforma

A falta de regulação e manutenção do maquinário acabam por comprometer o funcionamento da máquina e, consequentemente, o seu rendimento operacional. Tudo isso traz consequências para a colheita de soja, com as chamadas perdas na plataforma.

 

Dessa forma, ocorrem perdas mecânicas, que são provenientes de aumento da velocidade da máquina, erro na regulagem conforme as condições de cultura ou atritos da plataforma com o produto.

  • Perdas totais

Como o próprio nome indica, as perdas totais correspondem à soma das perdas que ocorrem durante todo o processo produtivo, causando um prejuízo total à lavoura e ao negócio rural. A soma das perdas totais é uma forma de mensurar o quanto o produtor rural está deixando de ganhar e também o seu percentual de perdas, que serve para fazer comparativos.

 

Além das perdas que ocorrem durante a produção, o produtor rural também precisa ficar atento às etapas de armazenamento e logística do produto. É muito comum ocorrerem perdas por deterioração do produto dentro dos locais de armazenamento e isso precisa ser considerado pelo produtor.

 

Mas o que fazer quando as perdas ocorrem durante o processo produtivo, especificamente na colheita de soja? O primeiro passo é dimensionar o tamanho da perda. Você confere mais informações sobre isso no próximo tópico.

 

Como calcular a perda na colheita de soja?

 

Saber identificar os gargalos na produção, principalmente na colheita de soja, exige que o produtor entenda o atual cenário da sua fazenda. E não há como fazer isso sem dimensionar o seu percentual de perdas.

 

Na colheita de soja, saber calcular as perdas é relativamente fácil. Hoje, a tecnologia presente em máquinas agrícolas já consegue monitorar esse percentual, mas a utilização do copo medidor é uma prática que não foi deixada de lado.

 

O copo medidor volumétrico é empregado principalmente para fazer os testes na colheitadeira antes de iniciar a operação de fato. E como fazer a mensuração das perdas na colheita de soja?

  • Perdas totais da lavoura

Segundo metodologia desenvolvida pela Embrapa em 1980, para a mensuração das perdas totais na colheita de soja, é recomendado a passagem da máquina em 5 pontos diferentes da área plantada, através de uma armação feita com madeira e barbante.

 

É feita a coleta de todos os grãos e vagens dessa determinada área, sendo colocados no copo medidor volumétrico, que mostra uma correlação entre o volume e o peso das sementes. O valor determinado no copo é a relação das perdas totais daquele ponto.

  • Perdas da plataforma de corte

É possível ainda determinar as perdas que ocorrem na plataforma de corte. Para isso, considerando todo o sistema da colhedora, recue entre 4 ou 5 metros, colocando a armação e coletando as vagens e grãos que estão no interior da máquina. O material colhido também é depositado no copo medidor.

 

Neste caso, a perda da plataforma de corte é determinada pela diferença entre a perda total e a perda que ocorre na plataforma, segundo o método da Embrapa.

 

E como saber se a perda no processo de colheita está dentro do considerado normal? Ainda de acordo com a Embrapa, a perda de um saco de 60 kg por hectare é considerada uma perda normal. No entanto, ultrapassando essa marca, é preciso descobrir quais erros estão sendo cometidos.

 

Para além disso, como você viu no texto, existem fatores que podem interferir muito nos resultados da colheita. Você verá alguns desses fatores no próximo tópico.

 

Quais as principais causas das perdas durante a colheita de soja?

 

Não há segredo para fazer a mensuração das perdas da colheita. Esse cálculo serve principalmente para entender como ser mais efetivo e como acontecem as perdas que afetam a produção.

 

Além disso, se o percentual de perdas estiver alto, o produtor rural deve ficar atento e investigar as causas que estão levando a isso, com o objetivo de traçar ações que reduzam os efeitos negativos na produtividade da lavoura. Mas quais são essas causas? Veja abaixo:

  • Falta de limpeza da máquina

É muito comum ocorrerem perdas por ocorrência de pragas, doenças ou patógenos no campo. Além disso, quando a máquina agrícola não é limpa corretamente, pode acontecer a contaminação das sementes, o que facilita a disseminação de plantas daninhas.

 

Por isso, uma rotina de limpeza na colheitadeira e demais equipamentos usados na colheita de soja é essencial para eliminar esses riscos.

  • Maturação desuniforme da lavoura

Não é nenhuma surpresa que a colheita de soja, assim como em outras culturas, ocorre quando a lavoura atinge a maturação fisiológica. Contudo, é muito comum que a maturação não ocorra de maneira uniforme e simultânea em toda a área plantada.

 

Com isso, fazer a colheita de soja não considerando as diferenças de maturação pode também resultar em perdas na colheita. Dessa forma, a dessecação pré-colheita, com uso de defensivo que mata a planta, secando suas folhas, é recomendada para uma operação mais dinâmica e com menos riscos.

  • Falta de regulagem na colheitadeira

Por mais que a regulagem da máquina, seja ela plantadeira, pulverizador ou colheitadeira, seja muito comentada, ainda podem ocorrer perdas por conta da regulagem inadequada. Isso está associado a ajustes errados de altura de corte, velocidade da máquina, rotação e posição do molinete, entre outros.

 

Portanto, é válido lembrar que a regulagem precisa ser feita no dia da operação, bem como os testes para determinar se tudo irá ocorrer conforme o programado.

  • Clima adverso

O clima adverso compromete a qualidade e rendimento de muitas operações no campo e não seria diferente com a colheita de soja. Afinal, estamos falando de uma atividade que ocorre a “céu aberto”.

 

Por isso, chuvas fortes, alta umidade ou temperatura elevada atrapalham a cultura e, consequentemente, a operação. Nesse caso, ter atenção às previsões meteorológicas é fundamental. Além disso, a dessecação pré-safra, contribui para antecipar a colheita, principalmente com o risco de tempo ruim.

 

Como evitar as perdas na colheita de soja?

 

As perdas de uma lavoura são ocasionadas por muitos fatores, como você viu no texto. Por isso, identificá-los é o primeiro passo para melhorar o desempenho da lavoura. Em relação a colheita de soja, podem ser citados alguns fatores importantes para redução das perdas, como:

 

  • Revisão dos maquinários, respeitando as horas trabalhadas;
  • Aquisição de peças originais sempre que algum componente estiver danificado;
  • Ajustes na barra de corte, rotação e posição do molinete;
  • Definição da velocidade da colheitadeira;
  • Regulagem dos mecanismos de transporte.

 

Cuidar do maquinário é a melhor forma de evitar perdas expressivas nesse processo, principalmente pensando na qualidade de grãos para a comercialização e na rentabilidade do cultivo. Na Cerrado, os serviços de manutenção preparam a máquina para o início dos trabalhos, evitando que qualquer dano ou anomalia causem prejuízos à sua lavoura.

 

Conclusão

 

A atenção aos detalhes, bem como seguir as boas práticas na colheita de soja são diferenciais que impactam na redução de perdas nesse processo, principalmente quando se fala na regulagem de máquinas agrícolas.

 

No texto, você conferiu os tipos de perdas que acontecem na lavoura e os principais fatores que as ocasionam na colheita de soja, bem como o que fazer para evitar esse cenário.

 

Para acompanhar mais conteúdos como este, acompanhe a Cerrado no Instagram, Facebook e YouTube. Nesses canais, apresentamos mais conteúdos do agro brasileiro. Venha conferir!

 

 

FONTES:

Embrapa – https://www.embrapa.br/

Agro Bayer – https://www.agro.bayer.com.br/

Aegro – https://blog.aegro.com.br/

Mais Agro Syngenta – https://maisagro.syngenta.com.br/

Mais Artigos

Qual a previsão para o mercado do milho em 2024?

 As previsões para o mercado do milho desempenham um papel crucial na tomada de decisões dos produtores agrícolas. É preciso estar atento a notícias, informações e estudos para conseguir aproveitar oportunidades e ultrapassar desafios. Mas

Envie sua Mensagem

Cadastre para receber nossos conteúdos

CONTATO

Rodovia de Acesso a BR 354
KM 0,1
CEP: 38840-000
+55 (34) 3851-6000
contato@cerradocase.com.br

Avenida Bartolomeu de Paiva, 821
Bairro: São Benedito
CEP: 38950-000
+55 (34) 3631-3035
contato@cerradocase.com.br

Rodovia 251, 6300
Bairro: Chácara Recanto dos Araças
CEP: 39404-128
+55 (38) 3215-7173
contato@cerradocase.com.br

Rod. Br 262, Km 481,80
CEP: 35600-000
+55 (37) 3522-7575
contato@cerradocase.com.br